Japão

A cultura japonesa é fascinante, seja pela gastronomia de excelência, seja pela tradições e costumes que atravessam o tempo. Os jardins chamam a atenção por serem perfeitos e são símbolos da tranquilidade e do equilíbrio. Vá da ultramoderna Tóquio aos caminhos de bambu em Nagano, a inspiração será automática e você ficará admirado(a) com a combinação do passado com o futuro.

Japão: Muitos símbolos da gentileza

São infinitos os roteiros possíveis para conhecer o Japão e, com certeza você precisará voltar várias vezes para alcançar todos os lugares imperdíveis, na sua opinião ou na dos japoneses. Que tal se o start da sua viagem for em Tóquio? A metrópole mais excitante da Ásia. É onde as tradições de séculos passados coexistem com as últimas novidades dos elementos em constante movimento em uma cultura urbana que irradia seu próprio calor e energia. A capital do país é lugar do Santuário Meiji, do Templo Asakusa Kannon e a Rua Izakaya é um dos locais favoritos para combinar a experiência gastronômica com os pubs

 

 

Na extremidade norte do arquipélago, está Hokkaido, a segunda maior ilha do Japão, abrangendo uma área de 78.073 km2, ou seja, aproximadamente 21% da área total do país. Como atração turística, Hokkaido apresenta uma grande beleza natural, uma flora e fauna de grande originalidade e um ambiente social peculiar criado pela história de seu povoamento, iniciado apenas em meados do século 18. Pode-se chegar a Hokkaido, pelo trem expresso especial de Tokyo, em aproximadamente 9 horas, e por avião (direto a Sapporo), em 1 hora e 15 minutos. Sapporo , é a sede do governo da ilha, ou seja, o centro político, econômico e educacional da região. Localizada na extremidade meridional da planície de Ishikari, na parte central da ilha, a cidade abrange 1.118 km2, a maior área ocupada por uma cidade japonesa. Sapporo é essencialmente uma cidade de consumo, mas suas indústrias produzem alimentos e madeira. Algumas das poucas grandes indústrias se dedicam à fabricação de cerveja, linho e laticínios. A cidade tornou-se internacionalmente famosa com a realização das Olimpíadas de Inverno, em 1972.  Entre as atrações turísticas, contam-se a centenária Universidade de Hokkaido, os Jardins Botânicos com grandes coleções de todos os tipos de plantas, o Museu Histórico de Hokkaido, tendo em seu acervo trajes Ainu e Giliak, bem como canoas, arpões e muitos outros objetos dos primeiros habitantes da região, e finalmente, a Avenida O-dori, com a torre de TV que se eleva a uma altura de 147 metros. Normalmente, entre os dias 5 e 11 de fevereiro realiza-se em Sapporo o Festival de Neve. Ao longo das principais vias públicas da cidade alinham-se figuras esculpidas na neve. Festas semelhantes ocorrem em Asahikawa, Monbetsu, Abashiri e Obihiro.

 

 

A antiga Kyoto foi a capital imperial do Japão por mais de 1.000 anos. Cercada por colinas pitorescas ao norte, leste e oeste que o Imperador Kammu, seu fundador, descreveu como "fortaleza natural", a cidade imperou de 794 a 1.868 como centro cultural e artístico da nação (posição que ocupa ainda hoje), bem como núcleo político. Mais de 1.600 templos budistas e 270 santuários xintoístas também atestam sua importância como um foco religioso, enquanto o impressionante Palácio Imperial e duas magníficas Vilas Imperiais com seus lendários jardins são reminiscências do esplendor estético da cidade que um dia teve seu papel fundamental.  Mas Kyoto, originalmente chamada Heiankyo - "Capital da Paz" - não vive somente do passado. A sétima maior cidade japonesa, com uma população de 1,4 milhões de habitantes, também acompanha o mundo moderno - prósperas indústrias elétricas, químicas e de maquinaria são numerosas. A abrangente "Kyoto International Conference Hall", localizada na porção nordeste da cidade é uma maravilha da tecnologia artística. Combinado com a extraordinária variedade de outras excelentes atrações, tem feito de Kyoto um destino de convenções de categoria internacional. Algumas das mais prestigiadas universidades do país também estão situadas aqui, formando um importante território educacional. De qualquer modo, a vasta riqueza da arte tradicional, arquitetura e habilidades que têm influenciado arquitetos e artistas de todo o mundo e têm sido cuidadosa e carinhosamente preservada. Seja vendo o deslumbrante Pavilhão Dourado (Golden Pavilion) refletido em seu tranquilo lago, ficando fascinado por um reluzente festival tradicional, ou simplesmente perambulando pelas ruelas pitorescas que evocam tempos idos, Kyoto é uma cidade inigualável que oferece opções para estimular e satisfazer a alma.

 

 

Nara, uma cidade até mais antiga que Kyoto, tem a honra de ser a primeira capital permanente do Japão. Anteriormente, a capital era mudada para o palácio na qual o imperador reinava. Mas de 710 a 784 - com outros 10 anos na cidade próxima de Nagaokakyo - Nara foi uma ampla metrópole de palácios, templos, santuários e residências. As artes, artesanato e indústria eram estimuladas e prosperaram até um estágio excepcional, cujos resultados admiráveis podem ser vistos ainda hoje. O período Nara também consolidou o budismo ao lado da religião xintoísta nativa, para o enriquecimento cultural de ambos. 

 

Hoje, Nara tem a honra única de preservar a estrutura de madeira mais antiga do mundo, no Templo Horyuji, e também a maior do mundo, no grande Templo Todaiji. Separado de Kyoto por colinas que correm de norte a sul, a venerável cidade está confortavelmente espraiada em um agradável estado de suave relaxamento. Graciosos veados domesticados, considerados mensageiros divinos, vagam pacificamente pelo Parque de Nara e nos arredores dos santuários e templos. 

 

Programe-se | Por conta da coleção de montanhas que cerca a região de Nagano, o inverno (de dezembro a fevereiro) é muito disputado especialmente para esquiar. Mas, se visitar a região no outono (de setembro a novembro), é bem capaz que veja uma paisagem mais alaranjada com temperaturas mais amenas. Os dias mais quentes em Quioto costumam acontecer de junho a setembro. E, se você gostar de prestigiar e embarcar nos festivais típicos, visite Miyajima na primavera (de março a maio) quando acontece o Festival Kiyomori, que é um verdadeiro show à parte. Não menos importante é o Festival das Cerejeiras que acontece em várias partes do país, no período que vai de final de março às primeiras semanas de abril, e com certeza é a experiência que mais encanta!

 

Experimente | O Tsukiji Fish Market é umas das sensações de Tóquio e seus arredores são considerados os melhores pontos para comer um bom sushi fresco, sobas (um tipo de sopa com massa japonesa), ostras gigantes, tempurá e tantas outras gostosuras típicas. Se quiser acompanhar o leilão de atum, que acontece na área de vendas em atacado, terá que madrugar para garantir uma senha. Mas valerá a pena!

 

Achados | Numa área montanhosa ao norte de Quioto, fica o complexo do templo Ginkaku-ji e o grande achado são os jardins de areia. Dependendo da estação do ano, os jardins servem de entrada para uma trilha recheada de cerejeiras e plátanos conhecida como “Caminho dos Filósofos”.

Roteiros Sugeridos