Butão

O Butão é o destino de quem quer viajar pelo tempo. Aberto para turismo desde 1974, o reino consegue transportar qualquer visitante à Shangri la, de James Hilton.

 

Seja você do estilo contemplativo ou não, as trilhas para conhecer os vales butaneses levam à tranquilidade, e por que não à felicidade? Segundo a pesquisa da Universidade de Leicester, no Reino Unido, o Butão está entre as 10 nações mais felizes do mundo.

 

Mas não se engane, conhecer o Butão vai além dos templos. Por conta do terreno acidentado e das fortes correntezas, o reino também é lugar certo para esportes radicais!

Butão: À procura da felicidade

Lugar de muitos templos, o Butão é o reino budista que faz fronteira com a Índia e a China. De sorrisos bem abertos os monges cuidam da hospitalidade, que também é famosa por aqui, e recebem todos que passam pelas vilas.

 

Programe-se | Em outubro acontecem os festivais de dança e de máscaras que agitam as cidades. A leste do país, os dias mais quentes são comuns de abril a maio. Se você curte um friozinho ou vai fazer trekking, o ideal é sair entre novembro e fevereiro. Mas fique de olho na neve! Nesse período as trilhas no Himalaia podem fechar dependendo do tempo. Em janeiro, as temperaturas em Thimpu e Punakha costumam ser mais amenas que em Paro e Bumthang, que chegam a atingir graus negativos.

 

Experimente | Um prato típico e que não pode faltar no seu pedido é o Ema Datshi, à base de chili e queijo. Favoritíssimo! E, vale saber, é muito comum comer com as mãos. Arroz, carne de porco, beef curry e lentilhas não faltam no dia-a-dia dos butaneses.

 

Coloque na rota | GoembaTaktshang (Paro), Memorial Nacional Chorten (Thimphu), Vale Phobjika (Gangtey) e Punakha Dzong (Punakha).

 

Não esqueça | Dificilmente o comércio aceitará moeda diferente da local (Ngultrum), por isso, troque seu dinheiro no aeroporto ou no hotel, onde também costuma-se aceitar cartão de crédito.

Roteiros Sugeridos